@animastereikianimal

Quando pensamos nas trocas energéticas e de informação que ocorrem nos campos sutis entre indivíduos da mesma família e sua relação com doenças é necessário refletir e aprofundar alguns pontos em relação ao que essas trocas significam.

É delicado atribuir a uma causa única o desenvolvimento de uma disfunção que pode ter seu início moldado por diversos pontos desarmônicos, desde as emanações do campo sutil pessoal, hábitos e cuidados físicos, história pessoal, padrões de comportamento, acontecimentos e também as trocas vivenciadas dentro do campo familiar e relações. O conjunto e acúmulo de tudo isso, ao longo do tempo, gera bloqueios energéticos que podem culminar em um quadro de doença física ou disfunção emocional.

Tudo o que um ser vive e entra em contato em sua história de vida interfere de alguma maneira em sua formação, bem-estar e possíveis disfunções; quanto mais próximos os laços e convivência, mais trocamos e evoluímos através destas relações.

Dentro do campo familiar, os indivíduos trocam uma grande quantidade de informação e energia, moldadas pela vibração interior de cada um e pelos acontecimentos vivenciados. Essa troca pode alimentar pontos positivos de aprendizado mútuo, que geram crescimento para os envolvidos, ou pode criar pontos disfuncionais, que enfraquecem o campo pessoal e propiciam o desenvolvimento de desequilíbrios físicos, emocionais e mentais.

O campo compartilhado é acessado e formado por todos os indivíduos do grupo, cada um traz uma vibração única e contribui para o estado total do campo do qual faz parte. Este campo, por sua vez, forma-se com a união de seres ressoantes, que carregam pontos em comum para viver, aprender, experimentar, desenvolver e curar.

Portanto, é importante observar essa troca com o cuidado de não atribuir culpa a nenhuma das partes e sim buscar na manifestação de uma possível doença ou disfunção o aprofundamento de questões pessoais e sistêmicas que reverberam em todo o campo.

Fazendo isso, facilmente observa-se padrões compartilhados entre todos os indivíduos, cada qual à sua maneira, com a sua história e desafio à parte para aprender, superar e curar. Desta forma, observa-se a ligação, mas transmuta-se a necessidade de um ponto focal/emissor e/ou culpado para uma disfunção que se apresentou.

Nas relações mais próximas, as trocas são mais intensas, mas o manifestar de uma doença é um ponto culminante que exige um olhar cuidadoso e profundo para o indivíduo e também para o sistema do qual ele faz parte, trazendo a perspectiva holística não só para o animal, mas para toda situação vivida.

Tatiana Scoleso – Mestre Reiki e Terapeuta Holística – Animastê Reiki Animal

contato@animaste.com.br

(11)94276-5350

100% das doenças físicas e emocionais dos animais estão atreladas às disfunções de seus tutores?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *